Acompanhe no GoogleMaps o exato local que estamos percorrendo

terça-feira, 6 de setembro de 2011

San Jose de Chiquitos (BO) a Santa Cruz de la Sierra (BO) - 265 Km - Enfrentamos 47 Km de estrada de chão

Preguiçosamente levantamos mais tarde, as 07h30 (08h30 BSB) eu e o Cristiano caminhamos pelas ruas da pequena cidade de San Jose de Chiquitos, para em seguida sair todo o grupo para um tour guiado. Fomos ao museu das Missões Chiquitanas, presentes na região desde o século XVIII para em seguida visitar a serra que envolve a cidade e que deu origem ao nome de Santa Cruz de la SIERRA, ou seja, a cidade de Santa Cruz, hoje a 265 km de distância, foi fundada ali, hoje  San José. No local original do início de Santa Cruz visitamos as escavações arqueológicas em curso.

Escavações arqueológicas 

Primeiro local da fundação de Santa Cruz

Relógio de Sol das Missões e o nosso guia Rodrigo 

Visão ampliada do pátio central das Missões

Por Volta de 14:00 local, após um leve almoço, saimos para abastecer as motos. Chegamos ao posto e encontramos um destacamento militar que antes de abastecer nos exigiu os passaportes para em seguida informar que não poderia vender combustível para nós. Naturalmente que em seguida se resolveu mediante um "taxa especial" de R$ 5,00 para as tres motos. Portanto, em relação ao dia anterior, quando pagamos R$ 2,00/l, valeu a pena o preço oficial de R$ 1,00/l.

A atendente e o cidadão que nos emprestou a matrícula para o abastecimento

 Os radicais prontos para a partida

Agora os moderadosprontos para a partida

Vencido a etapa pegamos a estrada, GPS indicando que nosso trajeto era off road, mas a estrada tinha bom asfalto nos primeiros 50 KM quando entramos em desvio em estrada de terra. Foram 47 km sob forte calor que percorremos (Eu e Cristiano) em 1h:40, mas novamente tivemos que nos perguntar: Onde está Wally? Sumiu.....Pegamos alguns trechos com muita areia onde patinamos, mas não caimos e muita poeira. Neste trajeto de terra tivemos q para por 2 vezes para reamarrar as tralhas da minha moto, que se soltavam com a trepidação da estrada de chão quando aproveitávamos para nos hidratar  Ao final do treccho de terra lá estava Wally, sentadinho num boteco nos aguardando, segundo ele, a 45 min.


Pausa para hidratação 

Idem

Grupo juntado seguimos em asfalto, ladeado com propriedades bem estruturadas, de comunidade Menonitas, percebidos     pela suas vestimentas características e não mais vendo animais soltos.




Já entardecendo, assistimos um lindo por do sol (lembrando que estamos indo na direção oeste) bem em frente de nossas vistas, mas sem registro fotográfico pelo adiantado da hora. Chegando próximo à Santa Cruz o trânsito se intensificou, quando novamente coube a pergunta: Onde está Wally? Sumiu..... a estrada estava em obras e sem pintura de piso, portanto com condições de visibilidade muito prejudicada, mas com ajuda do GPS conseguimos chegar ao hotel por volta das 19h:30, sem problemas, apesar do intenço buzinaço praticado pelos motoristas locais, comum entre eles. Foi quando novamente reencontramos Zilmar e Cristina.

Soubemos mais tarde que Wally, sem GPS,  na entrada da cidade de Santa Cruz contratou um motoboy para guiá-lo até o hotel que haviamos reservado,  soubemos também que Wally chegou na frente do contratado.

11 comentários:

Leo Michelstadter disse...

Melhores fotos até agora!!! Tudo bem que só estão começando, mas essas ficaram bem legais...

Pergunta para o velho cade a câmera, nunca a vejo com ele..

Nao acredito que na areia voce nao caiu nem uma vez pai, ta aprendendo hein... :) ..

Abraços e amanha vcs ja estarão com as penduras.

Fernanda Cunha disse...

Liberaaaaaa os cometários!!!!!

Achei o maximo a vendinha de comprar gasolina.

Beijos Fernanda

Anônimo disse...

Queridos! Estamos aqui viajando junto com vcs e torcendo para que seja uma experiência daquelas para nunca se esquecer!!
Patricia e Amélia já chegaram??
Um bjs grande para todos vcs!

Simone Doscher

Paixão disse...

Quando fazíamos trilha na Fazenda Thalia, o Zilmar WALLY Rodrigues vivia sumindo. Pelo jeito o GPS interno dele, mesmo com a bateria desgastada com o tempo, ainda funciona. hehe
Continuamos na garupa
Paixão e Carmem

Anônimo disse...

Gente, que aventura! Continuem prudentes. Abraços especiais ao Zilmar e a Cristina. Deus os acompanhe e os traga de volta. Marcello Machado

Stefano disse...

Fala ai Cristiano. Estamos aqui de BH torcendo para que sua viagem seja um sucesso. Cadê a Tiça?Muito legal este Blogg.

Stefano disse...

Êta blogger complicado!! Fala Cristiano. Estamos aqui em BH torcendo para que sua viagem seja um sucesso. Cadê a Tiça? Forte abraço. Stefano e Ane

Teca disse...

E aí moçada... cadê as notícias de hoje? Gui, João e Luiza mandam um abração pra todos. Estamos aguardando as novidades. Tudo de bom pra vcs. Beijão.

Ludio disse...

Esse Wally ta mais pra Ligeirinho, hein. O famoso filho da velha ansiada hahaha

Suborno pra poder abastecer eh triste hein. Aproveitem os passeios.

Anônimo disse...

Bela aventura Zilmar e Cristina... aproveitem bem por aí. p.s. longe do stress do nosso Furacão... rsrsrs Abraços de Rosane e Amilton

Anônimo disse...

Show de bola pessoal, ainda estamos acompanhando aqui do RS, mas em breve estaremos tb na estrada torcendo para um encontro, a Rose esta perguntando se os terrenos estão muito caros, pois da nossa última passagem pela Bolívia, ela comprou alguns. Rsrsrsrsrs.
Uma ótima viagem, fiquem com Deus.
Marcos & Rose.